Archive for Junho, 2013

Alimentos que combatem o cancro

Alimentos que combatem o cancro

Alimentos que combatem o cancro

O cancro surge devido a um erro que ocorre na multiplicação das células. Todas as células do corpo se multiplicam constantemente sendo que as novas células geradas devem ser sempre iguais as células que lhes deram origem.

Quando a célula “filha” se torna diferente da célula “mãe”, é porque ocorreu uma mutação genética e então surge o chamado cancro. Essa mutação genética pode ser causada por motivos internos, como doenças, ou por motivos externos, como o ambiente.

Dependendo de como ocorreu esta alteração, o cancro poderá ser benígno ou malígno.

Em breve abordarei o caso do cancro com mais detalhe.

Está cientificamente comprovado que existem alguns alimentos que combatem o cancro. Os alimentos com propriedades anti-cancerígenas são aqueles que conseguem evitar o aparecimento e ajudam a combater o cancro devido o seu poder antioxidante.

Alimentos que combatem o cancro

Seguem alguns exemplos:

    • Alho
    • Gengibre
    • Cogumelo Shitake
    • Cebola
    • Abóbora
    • Alho Francês
    • Couve de Bruxelas
    • Couve flôr
    • Algas
    • Bróculos
    • Mirtilo
    • Morango
    • Framboesa
    • Romã
    • Ameixa
    • Pêssego
    • Damasco
    • Aveia
    • Tomate
    • Acerola
    • Peixe
    • Chá verde
    • Cebola Roxa,
    • Cúrcuma
    • Pimenta
    • Cenoura

GengibreUm dos alimentos que possui uma grande acção anticancerígena é o Gengibre, de que já aqui falei. Pode ver o artigo sobre o Gengibre aqui.

Recentes estudos científicos vêm agora conferir um maior protago- nismo a esta raíz, relativamente à prevenção e tratamento do cancro.

Recentemente foi efectuado um estudo, pela Drª Gail B. Mahady, PhD, professora assistente de Farmácia da Universidade de Illinois, no centro médico da Universidade de Mariland, onde foram efetuados estudos de laboratório que confirmam que várias substâncias presentes no gengibre têm a capacidade de eliminar células cancerígenas em tubos de ensaio. Desta forma, o gengibre, entra na família dos alimentos que combatem o cancro.

Vejamos o que a Drª Gail B. Mahady, PhD apurou, neste estudo:

  • O Gengibre inibe enzimas 5-LO, sem estas enzimas, o cancro de próstata morre.
  • O gingerol (um extrato presente no gengibre) inibe o crescimento do cancro do pâncreas, além de inibir o crescimento da bactéria Helicobacter pylori, que está associado a úlcera péptica alguns tipos de gastrite e ao desenvolvimento de cancro do estômago e do cólon. O gingerol inibe ainda a adesão, invasão e mobilidade de cancro da mama e favorece a eliminação das células cancerígenas mamárias.
  • É um poderoso anticancerígeno contra leucemia.
  • Promove a morte das células do cancro do pulmão.
  • Aumenta significativamente o índice de timo, do baço, a percentagem de fagocitose, melhorando assim as funções imunitárias relacionados com os tumores
  • Inibe o crescimento das células cancerígenas do cancro dos ovários.
  • O 6-shogaol (componente do gengibre) induz a morte das células cancerígenas.

O melhor para uma vida saudável é um prato bem colorido com alimentos saudáveis e não processados. Esta é a melhor forma de combater e prevenir as diversas formas de cancro.

Existe ainda uma substância amplamente estudada que ajuda também a previenir e a tratar vários tipos de cancro. Esta substância é o FUCOIDAN, presente em várias espécies de algas, como por exemplo, mozuku, kombu, wakame, and hijiki.

Alimentos que combatem o cancro

Como suplemento natural costumo recomendar aos meus pacientes um produto da companhia Agel Enterprises que tem tido um óptimo resultado em casos de cancro. O seu nome: Agel UMI. Além de combater as células cancerígenas, provocando a sua apoptose, é óptimo também para reforço do sistema imunitário, que nestes casos se encontra sempre bastante debilitado. Saiba mais sobre o Agel UMI aqui (em português) ou aqui (em inglês).

Veja abaixo um video sobre o produto Agel UMI.

Caso tenha necessidade deste produto entre em contacto comigo, por aqui ou para o meu e-mail (victor.ferreira@corpozen.pt).

Em contrapartida os alimentos ricos em açúcares, gordura e carboidratos, bolos, bolachas e carnes vermelhas gordas são responsáveis por tornar acidificar o sangue, inflamar as células e desequilibrar o colesterol e a insulina, devendo por isso ser evitados.

Gostou? Aproveite e deixe o seu comentário!

Posts Relacionados:

Gengibre

Abóbora

Anúncios

Evite o leite… pela sua saúde!!!

Leite

Hoje irei abordar um tema que poderá ser alvo de alguma controvérsia.

O consumo de Leite… ou melhor… evitar o consumo de Leite

Existem várias pesquisas científicas que provam que o Leite é um alimento óptimo para a saúde… dos vitelos, claro!!!

Ninguém pode negar a eficácia e necessidade do leite de vaca para os vitelos, mas ao contrário dos humanos estes deixam de o consumir definitivamente assim que atingem a maturidade… e o mesmo se aplica a todos os restantes mamíferos à face da Terra.

Cada espécie de mamífero desenvolve o seu próprio leite que serve precisamente a sua espécie, e isto aplica-se consequentemente também ao leite de vaca que contém cerca de três vezes mais proteínas que o leite humano o que como é fácil de perceber acaba por provocar distúrbios metabólicos no corpo humano. Assim sendo, o caso não seria grave se o leite consumido fosse o leite materno, mas como não podemos mamar o resto das nossas vidas acabamos por recorrer a leite de outras fontes, nomeadamente o leite de vaca.

Pois é… o único animal racional, o HOMEM, é o único animal que continua a consumir leite depois de desmamado e mais grave obtém-no de outros animais agindo contra o estipulado pela natureza. Será que somos assim tão racionais… no que toca a este assunto?

Como já referi o leite de vaca

é óptimo… para vitelos!

Recentemente tive conhecimento de um estudo efectuado pela conceituada universidade Harvard School of Public Health que atesta isto mesmo. Esta prestigiada Universidade lançou o guia guia Healthy Eating Plate (Prato para uma Dieta Saudável). Esta foi a resposta ao USDA (Departamento de Agricultura dos Estados Unidos) e aos alegados especialistas de todo o mundo após o lançamento do novo guia de saude e nutricionismo da USDA.

O fenómeno do consumo de leite foi em grande parte gerado pelas indústrias de lacticínios americanas que gastaram milhões de dólares para convencer o público em geral que o leite é necessário para a manutenção da nossa saúde. “Esqueceram-se” foi de informar que o consumo de leite animal (nemeadamente o de vaca – o mais consumido) pode contribuir para a obesidade, diabetes, doenças coronárias, cancro de mama, próstata e cólon, osteoporose (já lá iremos), doenças autoimunes, algumas doenças dos rins e da retina, diabetes tipo 1 (em crianças predispostas), em que o pâncreas sofre uma destruição autoimune.

Conclusão… o Leite pode e deve ser evitado, sem prejuízo algum para o nosso organismo.

O leite, particularmente o de vaca, é a fonte mais comum das alergias a alimentos [Fonte: Rona, Nowak-Wegrzyn].

O leite é frequentemente intolerado no tracto intestinal humano [Fonte: Nowak-Wegrzyn] e o problema não é somente a intolerância, vai muito mias além, este provoca inchaço intestinal, prisão de ventre e refluxo. A nível clínico, o leite, está ainda ligado ao aumento de problemas de pele, sinusite, enxaquecas e dores articulares [Fonte: Grant].

Nestes casos e outros como a fibromialgia que me aparecem no consultório a primeira coisa que pergunto é se consomem leite e derivados, se a resposta for afirmativa também a primeira coisa que peço é que os deixem de consumir, substituindo-os por frutas e vegetais também ricos em cálcio. Por incrível que parece os sintomas aliviam muito mais rapidamente e acabam muitas vezes por desaparecer.

Este mito do leite ser bom principalmente para os ossos disseminou-se por todo o mundo baseado na crença de que é rico em proteínas e cálcio. No entanto os estudos mostram que são maiores os malefícios que os benefícios.

E agora aquilo que é mais surpreendentemente…

O corpo humano não só é incapaz de absorver o cálcio do leite de vaca (especialmente pasteurizado), mas está também provado que o leite pode até aumentar as perdas de cálcio nos ossos.

Irónico, não é???

Isto deve-se ao facto de, como todas as proteínas animais, o leite aumentar a acidez do PH do nosso corpo, que assim despoleta por parte do nosso corpo uma correcção biológica natural, pois o cálcio é um excelente neutralizador da acidez do nosso corpo e este está armazenado principalmente nos nossos ossos. Ora, o mesmo cálcio que é necessário aos nossos ossos para se manterem saudáveis e fortes é usado para equilibrar o PH aumentando assim o risco de osteoporose, causando assim o efeito contrário ao que é indicado pelas indústrias de leite. Uma vez usado o cálcio é expelido pela urina.

Esta é a causa pela qual os países com menor consumo de lacticínios são também os que possuem menor incidência de fracturas ósseas na sua população. O triste é ver que profissionais de saúde continuam a ignorar estes factos mais que comprovados.

É ponto assente que o leite de vaca é para vitelos!

Mas os problemas não se ficam por aqui… convém saber ainda que o leite que compram no supermercado está muito longe de ser saudável. Sabia que às vacas leiteiras são administradas diariamente hormonas de crescimento (rBGH) e de simulação de gravidez (rBST) para que a produção de leite aumente, bem como vários antibióticos com o intuito de reduzir infecções provocadas pelos mais variados mecanismos e químicos a que se encontram expostas?

Pois é… estes materiais contaminam o leite e o seu impacto para quem o consome é ainda desconhecido.

Então e os derivados do leite também são prejudiciais à nossa saúde?

Lacticínios naturalmente processados e sem adição de açúcar ou adoçantes encontram-se livres de acidez e os estudos provam que o iogurte, as natas e o kefir que não possuem as hormonas rBGH e rBST trazem francos benefícios para a saúde humana.

LeiteAssim aqui fica o aviso…

evite ou elimine o consume de leite…

pela sua saúde!

O seu corpo agradece!

Concorda? Não concorda? Deixe o seu comentário, por favor!

Limão

Limão

Limão

O Limão, é o fruto do limoeiro (Citrus Limonium) e pode atingir até 5m de altura, originário da Ásia, das regiões compreendidas entre a Índia e o sudeste dos Himalaias, onde ainda crescem variedades silvestres, primitivas. Existem cerca de 70 espécies.

É um fruto que se pode encontrar em Portugal durante todo o ano. Como já aqui referi no artigo sobre a Fruta da época (pode vê-lo aqui) o período do ano em que a fruta aparece é a altura certa para ser consumida com mais frequência. No caso do Limão este pode ser encontrado, facilmente, durante todo o ano. Deixa-nos a pensar porquê, certo? Espero conseguir explicar-lhe neste artigo.

Valor nutricional do Limão

O limão é muito rico em vitamina C e ainda em vitaminas do complexo B, proteínas, sais minerais (cálcio, ferro, fósforo,  magnésio, manganês, potássio e sódio) e carbo-hidratos.

Cada 100g contém apenas cerca de 30 calorias, daí que seja muito utilizado para manutenção e controle de peso.

Utilização do Limão

Do Limão tudo se utiliza, desde a casca à polpa, sem esquecer as folhas do limoeiro, óptimas para ajudar na cura de constipações e gripes. É utilizado como tempero, em chás e na preparação de vários pratos culinários.

Benefícios do Limão

O limão é um dos frutos mais benéficos à nossa saúde.

O limão é um poderoso depurativo (purificador do sangue) por causa do seu teor em ácido ascórbico (vitamina C) e tem um grande poder alcalinizante. É antibiótico, antiescorbútico e sudorífero.

Pode usar o Limão no tratamento de:

  • Doenças respiratórias
  • Doenças do baço
  • Bronquite
  • Tosse
  • Constipações
  • Gases
  • Prevenção de doenças cancerígeras
  • Infecções hepáticas
  • Diabetes
  • Anemia
  • Reumatismo
  • Gastrite
  • Eczema
  • Febre
  • Hipertensão
  • Ácido úrico
  • Nevralgias
  • Tetenção de líquidos
  • Azia
  • Flatulência
  • Varizes
  • Regular a taxa de colesterol
  • entre muitas outras…

Limão para o controle de Peso

O Limão tem sido alvo de vários estudos sobre obesidade. Uma pesquisa publicada no Journal of Clinical Biochemistry and Nutrition realizada em animais, comprovou que os polifenóis encontrados no limão, foram capazes de eliminar o tecido adiposo e o ganho de peso.

Outro estudo, publicado no Journal Pharm Biomed Analysis, mostrou que o limão facilita o metabolismo das gorduras. O sumo do limão estimula a produção de saliva e também dos sucos gástricos, sendo um excelente agente digestivo. Além disso, o limão contém pectina, substância rica em fibras, que ao ser digerida se transforma num gel aderente que impede o estômago de absorver o açúcar mais depressa e aumenta o poder de saciedade. Mais um ponto a ter em conta para quem não quer acumular as gordurinhas indesejadas na região abdominal.

COM SEU PH ÁCIDO ASSOCIADO AO TRABALHO ENZIMÁTICO, O LIMÃO QUEBRA PARCIALMENTE AS CADEIAS PROTÉICAS, DEIXANDO AS CARNES MAIS LEVES E FÁCEIS DE DIGERIR

Limão e a Medicina Oriental

Ao contrário do que se pensa e se diz, o limão não agride o aparelho digestivo antes pelo contrário, age como cicatrizante. O limão tem acção depurativa e é bastante eficaz na desintoxicação do organismo. Tem propriedades diuréticas, ajudando assim a minimizar a retenção de líquidos. O sabor ácido pertence ao Elemento Madeira, que rege o Fígado e Vesícula Biliar. Ao tonificar o fígado e desintoxicar o sangue, ele equilibra o metabolismo de queima da gordura corporal. Um copo de água com sumo de limão fresco, pela manhã, ajuda a desintoxicar o fígado.

Receita para combate a constipações e gripes

Chá de Limão com Mel, Alho e Gengibre

Coloque numa chávena de água a ferver um alho esmagado (com casca), três ou quatro láminas finas de gengibre fresco, casca de limão e um pouco do sumo. Deixe arrefecer um pouco e adicione uma colher de Mel. Tome duas a três vezes ao dia.

O que pode ainda o Limão fazer pela sua saúde

Equilíbrio do metabolismo: A componente ácida do limão interage com o metabolismo produzindo um efeito alcalinizante nos fluidos corporais, ajudando a equilibrar o PH do nosso organismo.

Alergias: O limão contém o fitonutriente hesperedina que comprovadamente alivia de forma eficaz os sintomas relacionados com as alergias.

Distúrbios no cérebro e sistema nervoso: O potente fito-nutriente tangeretina presente na casca do limão tem demonstrado benefícios em distúrbios cerebrais como a doença de Parkinson.

Distúrbios de visão: A rutina, encontrada no limão, tem sido apontada em investigações como responsável pela melhoria dos sintomas de doenças dos olhos, incluindo a retinopatia diabética.

Anti-Viral: Para além de ser eficaz contra as gripes e constipações, o terpeno limonóides encontrado no limão, tem efeitos anti-virais comprovados em outros tipos de vírus.

Diabetes: Para além de melhorar problemas de visão associados à diabetes, o Limão contém hesperedina que reduz consideravelmente os níveis de açúcar no sangue, quando estes se encontram elevados.

Vesicula biliar e pedras nos rins: O ácido cítrico contido no limão ajuda a dissolver os cálculos biliares, depósitos de cálcio e pedra nos rins.

Anti-envelhecimento: A vitamina C encontrada no limão ajuda a neutralizar os radicais livres retardando o envelhecimento e outros tipos de doenças.
 

Curiosidade

Cheirar limão ajuda a combater o enjôo.

 

CONSELHO:

Introduza o Limão na sua dieta alimentar diária. Vai ver que notará os seus benefícios. PREVINA-SE! O seu corpo agradece.

 
Gostou? Aproveite e deixe o seu comentário!

 

Posts Relacionados:

Mel – Parte 1

Mel – Parte 2

Canela

Mel com Canela

Gengibre

Abóbora

Fruta da Época

Fruta da Época

Fruta da Época

Que a natureza é sábia isso já todos temos consciência. No entanto, se calhar nunca parou para pesar porque certas frutas aparecem mais no Outono/Inverno ao contrário de outras que têm o seu período de excelência na Primavera ou Verão.

Embora nos tempos que correm e graças, em grande parte, aos hipermercados, que importam de tudo um pouco em qualquer altura do ano, possamos obter practicamente qualquer tipo de fruta durante todo o ano, convém saber quais as frutas mais indicadas ao nosso consumo diário, consoante a estação em que nos encontramos.

Pois bem, seguindo a premissa de que de facto a natureza é sábia, vejamos:

No Verão surgem as Frutas da Época, de grande concentração de água e mais frescas, como a Melancia, o Melão e Meloa, Pêssego entre outras.

Já no Outono e Inverno a Fruta da época é em grande parte rica em vitaminas, especialmente em vitamina C, como é o caso da Laranja, da Romã ou a Tangerina entre muitas outras.

A melhor altura para consumir a Fruta da Época é efectivamente na sua altura ideal, garantindo assim ao nosso organismo o aporte vitamínico, antioxidante e energético necessário a cada altura do ano.

Não quero com isto dizer que não se deva consumir outras frutas que não a Fruta da Época. A fruta é sem duvida imprescindível para dieta equilibrada. No entanto, se determinada fruta surge a dada altura é porque é a mais indicada para ser consumida nesse periodo.

A baixo encontra uma tabela com a Fruta da Época, em Portugal, durante os vários meses do ano.

Fruta da Época

Fruta da Época

 
Gostou? Aproveite e deixe o seu comentário!

 

Posts Relacionados:

Mel – Parte 1

Mel – Parte 2

Canela

Mel com Canela

Gengibre

Abóbora

Mel com Canela

Mel com Canela

Mel com Canela

Depois dos últimos três artigos sobre a Canela e sobre o Mel, hoje analisarei o benefício da sinergia destes dois fantásticos produtos.

Se não acompanhou os artigos anteriores pode encontrá-los aqui:

Artigo sobre o Mel – Parte 1

Artigo sobre o Mel – Parte 2

Artigo sobre a Canela

Analisemos agora o poder da sinergia entre  o MEL e a CANELA

Se ao poder do Mel juntarmos os benefícios da Canela, podemos ajudar à resolução de uma série de problemas.

Na sua edição de 17 de Janeiro de 1995, a revista “Weekly World New” do Canadá, publicou uma lista das doenças que podem ser curadas pelo Mel misturado com Canela.

Vejamos:

Mel com Canela para DOENÇAS DO CORAÇÃO

Ao pequeno-almoço substitua o pão com manteiga ou geleias por uma pasta de mel com uma colher de café de canela e barre-a no pão. Ajuda a prevenir problemas de coração e a reduzir o colesterol nas artérias. Também ajuda a previnir a reincidência de enfartes em pessoas que já sofreram de algum no passado. Quando consumidos regularmente fortalecem o batimento cardíaco e diminuem a falta de ar. Nos asilos do Canadá e Estados Unidos, esta pasta é utilizada continuamente, pois descobriu-se que o mel com canela revitaliza as veias e artérias dos pacientes idosos, limpando-as.

Mel com Canela para PICADAS DE INSETOS

Misture uma colher de mel e uma colher  de canela em pó em duas colheres de água morna. Obtenha uma pasta com os ingredientes e esfregue-a suavemente sobre a picada. A dor e a comichão desaparecerão ao fim de um ou dois minutos.

Mel com Canela para ARTRITE

Numa chávena de água morna misture duas colheres de café de mel e uma colher de café de canela em pó. Beba uma de manhã e uma à noite. Se tomado com frequência pode até aliviar os sintomas da Artrite Crónica.
Numa pesquisa feita na Universidade de Kopenhagen os médicos administraram aos seus pacientes, diariamente, antes do pequeno-almoço, uma colherada de mel e meia de canela em pó.

Numa semana, dos 200 pacientes a quem foi administrado este tratamento, 75 deixaram completamente de ter dores.

Um mês depois todos os pacientes deixaram de apresentar dores, inclusivé aqueles que já quase não andavam.

Mel com Canela para PERDA DE CABELO

Quem sofre de calvície ou de perda de cabelo, poderá fazer uma pasta de azeite (o mais quente que resistir) com uma colherada de Mel e uma colherzinha de canela em pó e aplicar no couro cabeludo.
Deixar actuar por quinze minutos e enxaguar. Foi comprovada a sua eficácia mesmo deixando actuar somente durante cinco minutos.

Mel com Canela para INFECÇÕES DE RINS

Uma colherada de mel e duas colheradas de canela em pó misturados num copo de água morna, mata os germes que dão origem a infecção nos Rins. Tomar de manhã e à noite até desaparecer a infecção.

Mel com Canela para BAIXAR O COLESTEROL

Misturar uma colher de mel com uma colherzinha e meia de canela. Tomar três vezes ao dia. Tomado diariamente ajuda a eliminar o colesterol.

Mel com Canela para CONSTIPAÇÕES

Para curar sinusites, tosse crónica e constipações comuns, misturar uma colher de mel com um 1/4 de colher de canela em pó e tomar com frequentemente.

Mel com Canela para retardar os SINAIS DE ENVELHECIMENTO

Misture, uma colher de canela em três chávenas de água. Ferva para fazer um chá, quando estiver morno, adicione 3 colheres de mel, e beba 1/4 de chávena, três vezes ao dia.

Mantém a pele suave e fresca e retarda os sinais de envelhecimento.

Mel com Canela para PERDA DE PESO

Tome diariamente, meia chávena de água com Mel com canela meia-hora antes de tomar o pequeno-almoço e meia hora antes de deitar. Ajuda a reduzir o peso até das pessoas mais obesas.

ATENÇÃO: Em casos de Diabetes ou outras condições específicas deverá consultar um médico antes de consumir o Mel com Canela.

 
Gostou? Aproveite e deixe o seu comentário!
 

Posts Relacionados:

Mel – Parte 1

Mel – Parte 2

Canela

Gengibre

Abóbora

Mel – Parte 2

Mel – Parte 2

Mel

Retomo o assunto iniciado ontem: Mel

Se não acompanhou, veja aqui: Mel – Parte 1

 

Mel – Qual a Dose certa?

Qual será então a quantidade ideal para se obter os benefícios para a saúde?

Alguns autores sugerem o consumo de uma colher de sopa ao dia, mas não há estudos científicos conclusivos a respeito destes valores.

No entanto, é certo que o consumo frequente do Mel está associado a uma maior longevidade. A medicina oriental, refere inclusive, que quem deseje ter uma vida longa e saudável deve apostar no uso diário do mel.

Conservação do Mel

Mas a sua conservação também tem os seus segredos: manter o frasco bem fechado, em local fresco e seco. Não é à toa que as abelhinhas lhe extraem practicamente toda a humidade! Depois de aberto não é necessário colocá-lo no frigorífico. Nunca introduzir colher ou faca suja, ou húmida pois pode provocar a sua deterioração. Pode dizer-se que a humidade é a grande e talves até única inimiga do mel.

Mel e as crianças

Praticamente todas as crianças gostam de mel, mas, no entanto, há que ter alguns cuidados.

Não se deve dar mel a crianças com menos de um ano de idade uma vez que este pode conter esporos da bactéria Clostridium botulinum, que provoca o botulismo. Não importa a proveniência ou a origem do mel, o perigo existe sempre. Como o sistema imunitário dos bebés ainda não está completamente desenvolvido, pode haver o perigo de contrairem uma forma da doença chamada botulismo infantil. Os esporos do botulismo são bastante resistentes e podem sobreviver até à pasteurização e a altas temperaturas.

Por isso, espere até que a criança tenha pelo menos um ano de idade para lhe dar mel, mas cuidado para não abusar. Por ser um alimento extremamente doce, pode prejudicar a dentição. Uma boa higiéne oral é imprescindível e fundamental.

Numa fase em que a criança está ainda em crescimento o Mel é uma boa opção nesta fase de desenvolvimento e para recuperar o desgaste intelectual dos períodos escolares, favorecendo também a aprendizagem.

Mel e a Febre-das-fenos

Por incrível que pareça, o mel pode ajudar a aliviar os sintomas da rinite alérgica, vulgarmente conhecida por febre-dos-fenos, uma reacção alérgica desencadeada pelo pólen que se encontra no ar. Os naturopatas acreditam que tomar uma colher de chá de mel, diariamente, ajuda a criar resistências. No entanto, é importante que seja mel puro, de preferência biológico e produzido na área onde o paciente reside.

Mel e companhia

Além do mel, da colmeia sai a geleia real, o pólen e própolis. O própolis é um antibiótico mais forte do que o mel, enquanto a geleia real é considerada eficaz para estimular o sistema imunitário, acelerar a cicatrização, regular a hipertensão arterial, fornecer energia e reduzir o colesterol. Além da vitamina C, contém todas as vitaminas do complexo B e também todos os aminoácidos essenciais, responsáveis pelo crescimento, renovação e regeneração celular.

Escolher, guardar e usar

Procure mel prensado a frio e, se possível, e de preferência, compre-o ao produtor. Grande parte do mel que se encontra à venda nos supermercados passa por um processo de aquecimento que filtra alguns dos nutrientes mais importantes. Comprar mel que não foi sujeito ao processo de filtragem é particularmente importante para quem sofre de rinite alérgica, uma vez que este pode ajudar a criar alguma imunidade contra os efeitos do pólen.

Guarde o mel num armário da cozinha

Como já foi referido as suas propriedades anti-microbianas não o deixam adulterar. Cerca de duas vezes mais doce que o açúcar, terá que ser usado em menor quantidade. No entanto, lembre-se de que o calor em excesso reduz as suas propriedades antibióticas, pelo que, em pratos cozinhados, ou em chás só deverá juntá-lo perto do fim da confecção.

Mel e beleza

É amplamente conhecido o uso do mel a favor da beleza. Conta a lenda que a exuberante rainha Cleópatra, do Egipto, usava uma mistura de ocre, lápis lazúli, malaquita e mel para pintar as pálpebras. Os mesmos egípcios ferviam o néctar numa mistura de incenso, mirra, casca de canela para perfumar as roupas e deixar o hálito fresco.

Do Egipto e Roma antiga até aos nossos dias, o mel continua a ser um dos ingredientes preferidos da indústria cosmética, dada a sua riqueza em vitaminas A, C, D, e E. Sendo antioxidantes, essas vitaminas previnem o envelhecimento precoce da pele, bem como manchas, rugas, e flacidez. Já para não falar das suas propriedades hidratantes que estão relacionadas à função higroscópica da frutose, um dos seus açúcares predominantes. Este capta a água e mantém-se ligado a ela, evitando a desidratação da pele.

Todas estas qualidades, somadas à importante capacidade de auxiliar na regeneração dos tecidos, acabam fazendo com que esta iguaria seja um ingrediente usual em várias fórmulas de produtos cosméticos, desde cremes contra o envelhecimento a champoos anti-queda, passando por máscaras de cabelo fortalecedoras e cremes hidratantes para peles secas, existem várias alternativas no mercado em que o mel tem o papel principal.

AO SERVIÇO DA BELEZA AQUI FICAM ALGUNS TRUQUES:

Mel

Para olhos cansados

Misture meia colher de mel puro com uma colher de água. Passe nas pálpebras superiores e inferiores, de dentro para fora. De seguida dê batidinhas suaves com as pontas dos dedos onde tiver as marcas de expressão, para ativar a circulação.

Hidratação dos lábios

Use a mesma mistura indicada para olhos cansados, acrescida de óleo de sésamo frio, nos lábios e ao redor da boca. Friccione um lábio no outro para ajudar à absorção. É um óptimo substituto do vulgar báton de cieiro e muito mais saboroso!

Máscara descongestionante para o rosto

Junte uma colher média de mel a duas colheres de sopa de aveia e uma chávena de chá-verde bem concentrado. Mexa bem e deixe repousar durante cinco minutos. Aplique em todo o rosto, inclusive em volta dos olhos, e deixe actuar durante quinze minutos. De seguida, retire esfregando suavemente a pele. Lave o rosto com água corrente e enxugue a pele. Finalize aplicando, em todo o rosto, o chá-verde embebido num algodão.

 
Gostou? Aproveite e deixe o seu comentário!
 

Posts Relacionados:

Mel – Parte 1

Canela

Gengibre

Abóbora

Mel – Parte 1

Mel – Parte 1

Mel

O mel, é um o adoçante universal, que  aumenta a resistência e melhora o rendimento físico. Um dos seus maiores benefícios é o facto de ser um poderoso estimulante do sistema imunitário. O mel tem propriedades antibacterianas que ajudam a melhorar a digestão, é um óptimo regenerador da pele, tem propriedades sedativas (por exemplo nas picadas de insetos), é um carboidrato que fornece energia de qualidade ao nosso corpo, especialmente quando fazemos exercício, daí ser uma fonte de energia muito adequada para atletas, também recomendável para o desenvolvimento infantil, pois favorece a assimilação do magnésio e do cálcio. Também ajuda a previnir contra a osteoporose, uma vez que aumenta a fixação de cálcio nos tecidos. Possui também uma acção prebiótica, agindo beneficamente sobre a flora intestinal. Por conter uma substância chamada inibina age como antibiótico natural. Tem acção antioxidante, anti-inflamatória, anti-séptica, e anti-microbiana. É imunoestimulante, sendo eficaz contra os sintomas de gripes e constipações. É ainda um bom coadjuvante no tratamento de problemas pulmonares e da garganta.

O seu valor calórico é menor do que o açúcar. Fornecendo cerca de 320 calorias, contra as 400 calorias do açúcar, por cada 100 gramas, mas com um poder adoçante duas vezes superior ao do açúcar.

Em casos da diabetes, deverá consultar o seu médico, antes de consumir Mel dado o seu forte teor de açurares.

Excelentes alimento energético, é um adoçante natural (substitui o açúcar), é de fácil digestão, é constituído por vitaminas: B, B1, B2, B5, B6, C, D e E e sais minerais como o ferro, o zinco, o cálcio, o fósforo, o potássio, o magnésio, entre outros.

As suas funções terapêuticas são inúmeras e variam de acordo com as flores de onde a abelha extrai o néctar. “O mel de laranjeira, por exemplo, tem propriedades sedativas e um gosto mais suave. Já o de eucalipto, com cor mais escura e sabor forte, é indicado para as doenças do aparelho respiratório como tosses, gripes e bronquites. O silvestre é leve e tem o poder de acalmar, fortificar e desintoxicar e por aí diante.

É um alimento muito nutritivo e completo. Deve ser consumido no dia-a-dia puro ou em iogurtes, sumos de fruta, batidos, cereais, torradas, etc.

Com o passar do tempo o Mel puro cristaliza. No entanto, mesmo estamdo cristalizado o mel mantém todo seu valor nutricional, mudando apenas o seu estado.

A cristalização do mel é uma garantia da sua pureza e da sua qualidade. Geralmente, os méis puros acabam por cristalizar com o passar do tempo.

Quando o mel não cristaliza é possível que tenha sido submetido ao calor (nomeadamente no processo de pasteurização).

Para descristalizar o mel, basta aquecê-lo, sem tampa, em banho-maria (cerca de 40º C aproximadamente) para que ele volte ao seu estado normal. De notar que não deverá efectuar este processo a altas temperaturas sob prejuizo de destruir as suas propriedades.

A OMG (Organização Mundial de Saúde) recomenda o uso do mel como remédio natural para todo o género de gastroenterites e até mesmo para o tratamento da diarreia do viajante. Meia colher de chá de mel por dia ajuda também a acalmar a úlcera péptica.

Uma das grandes vantagens do mel é que ele se auto-conserva sem a necessidade de conservantes, e afins. Esta característica deve-se ao facto de o mel ser constituído basicamente por açucares e com uma dose mínima de água impedindo assim que leveduras e outros microorganismos que estragam o produto se consigam desenvolver, além de que as suas propriedades anti-microbianas também contribuem para que o mel mantenha a sua integridade mesmo ao longo de vários anos.

MelNa verdade, o arqueólogo T.M. Davies descobriu uma jarra de mel com 3.300 anos num túmulo egípcio que, estava em óptimas condições, para sua grande surpresa.

Durante séculos, o mel foi o adoçante principal em todo o mundo. Relevos egípcios em túmulos do século III a.c. mostram trabalhadores a recolherem o mel das colmeias. Era também utilizado por estes como bactericida e para embalsamar as suas múmias, entre muitas outras aplicações. Os egípcios faziam do mel um uso bastante alargado.

 

ATENÇÃO: Em casos de Diabetes ou outras condições específicas deverá consultar um médico antes de consumir o Mel.

 

Não perca, amanhã, a 2ª parte.

 
Gostou? Aproveite e deixe o seu comentário!
 

Posts Relacionados:

Gengibre

Abóbora

Canela